Quantas refeições ao dia devemos fazer?

Quantas refeições ao dia devemos fazer

Quantas refeições ao dia devemos fazer?

Como naturoterapeuta, eu estudei e continuo estudando sobre a área da nutrição. Até porquê, uma das terapias naturais que eu aplico nos tratamentos que faço é a Trofoterapia. Que é a terapia que utiliza os alimentos como base para a cura e alívio do sofrimento.

Porém, o conteúdo que escrevo aqui, tem como base estudos científicos, pesquisas e comprovações feitas por profissionais conceituados da área acadêmica.

Como o Dr. Yoshinori Ohsumi que ganhou o prêmio Nobel de Medicina de 2016.
Dra. Phd em nutrição Márcia Lobo Vidoto. Autora dos livros Saúde Nua e Crua e Saúde Nua e Crua Receitas
Dr. Luiz Fernando Sella diretor do CEVISA – Centro de Vida Saudável Adventista e do Dr. Ricardo Vargas.

 

O que será que é mais saudável?

Uns comem três vezes ao dia, uns comem cinco, outros comem algumas vezes e tem aqueles que comem só uma vez por dia. Começam quando acordam e só param quando vão dormir.

 

Mas quantas vezes por dia precisamos comer?

Muitos profissionais da saúde recomendam que devemos comer de três em três horas ou de duas em duas horas.
Em primeiro lugar, não existem comprovações científicas de que isso é verdade. Em segundo lugar, o nosso corpo foi criado por Deus, para receber alimentos de duas a três vezes por dia. Ou seja, café da manhã, almoço e jantar, ou até mesmo, somente duas vezes por dia.

Ao comer dessa forma, nós respeitamos o funcionamento, ou seja, a fisiologia do nosso sistema digestivo, respeitando o horário de descanso entre uma refeição e outra.

 

Devemos manter o intervalo de 5 horas entre uma refeição e outra. Mas porquê?

Entre tantos malefícios. Comer em intervalos curtos, induz a diabetes.
A glândula parótida é a maior das três glândulas salivares pares.
Essa glândula é responsável por produzir a enzima pela digestão do alimento.
Em intervalos curtos, não teve tempo suficiente da parótida ser abastecida da amilase salivar, a enzima que citamos.
Em resumo, a alimentação em intervalos curtos, compromete o pâncreas.
Gera um sobre carga de até 40% sobre esse órgão, favorecendo o surgimento da diabetes.

 

Mas por que a mídia e alguns profissionais da saúde recomendam se alimentar de três em três horas?

Se formos rasgar o verbo mesmo, esse mito de comer de três em três horas ou de duas em duas horas vem da indústria de alimentos.
Por que os alimentos fornecidos pela indústria são pobres nutricionalmente e por isso gerou-se essa necessidade.
Se comermos os carboidratos refinados, como pão branco, macarrão, arroz branco, lasanha, bolachas e biscoitos, você vai sim, sentir a necessidade de comer de três em três horas.
Se alimentando dessa forma, você não vai conseguir manter os intervalos corretos entre as refeições.
Mas se você começar a comer os alimentos ricos em fibras, como uma boa quantidade de frutas, verduras, legumes e grãos integrais.
Certamente você vai se adaptar e voltar ao estado original e correto da alimentação, que é no máximo três refeições por dia.

 

Qual o melhor horário para comer?

O melhor horário para você comer é no desjejum, com boa quantidade e qualidade dos alimentos, almoço e um jantar leve. O mais próximo possível do pôr do sol.
Uma pessoa que come a qualquer horário, pula refeições ou come nos intervalos ou tem horários muito irregulares, ela começa a ter um sério prejuízo na sua digestão e o seu metabolismo é alterado.

 

Comece bem o seu dia fazendo o desjejum.

Frutas e cereais não podem faltar nessa refeição.
O desjejum é a refeição mais importante do dia, porquê é o momento em que nosso organismo está fisiologicamente preparado e está disposto a receber uma quantidade de alimento maior.
Se pulamos essa refeição, quando chega à noite, ficamos bastante ansiosos, com fome e ansiosos por comida. O que vai acontecer? Vamos comer mais a noite.
Isso vira um círculo vicioso. Não comemos de manhã porquê estamos sem fome, comemos muito a noite e isso traz muitas consequências. Incluindo várias enfermidades, doenças.
Também não conseguimos perder peso, não conseguimos dormir bem, vivemos ansiosos, estressados, porquê o organismo não consegue descansar a noite.
Então depois de um dia inteiro de trabalho, depois das duas refeições que fizemos no desjejum e no almoço, a noite devemos comer uma refeição mais leve.
Para dar ao organismo somente a energia que ele precisa até o desjejum do dia seguinte.

 

Quando comemos um jantar muito pesado, temos os seguintes prejuízos:

– Em primeiro lugar pode ter um prejuízo no sono, não tem um sono reparador.
– Começa a ter queimação no estômago e refluxo.
– Ganho de peso, acúmulo de gordura abdominal e gordura viceral. Porquê todas essas calorias do jantar serão acumuladas e não vão ser gastas.
– Envelhecimento precoce.
– Falta de concentração e perda da memória.
– Irritabilidade, ansiedade e estresse.

 

Beber líquido junto com as refeições?

O ideal é beber líquidos meia hora antes e duas horas depois da refeição.
Para não causar refluxo e nem mesmo atrapalhar a digestão.
Percebem como a ideia de comer o tempo todo não é fisiologicamente correta? Não tem como ser algo saudável.

 

Praticar ou não o jejum intermitente?

A mídia, blogueiras, Youtubers, jornais, revistas, novelas, muito se fala do jejum intermitente.
Mas o jejum intermitente criado por Deus é o contrário do que a mídia prega.
O jejum intermitente correto é se alimentar muito bem no desjejum, bem também após cinco a seis horas e não fazer a terceira refeição da noite.

Agora que sabemos que o correto é nos alimentarmos duas a três vezes ao dia com intervalo de 5 horas por dia, vamos colocar isso em prática!

 

Ficou com alguma dúvida? Assista esse vídeo para te ajudar!

 

Gostou do artigo? Compartilhe!

Sem Comentários

Publicar um comentário